Entendendo movimentos de massa

Os movimentos de massa são processos geodinâmicos muito comuns e estão relacionados a deslocamentos de solos e rochas em encostas por ação da gravidade. Condicionantes naturais, como o tipo de rocha, o relevo e a ação da água são determinantes para o processo ocorrer. Porém, a ação humana pode acelerar o processo, tais como cortes e aterros inadequados e o desmatamento. Os movimentos de massa mais conhecidos são: quedas, corridas e deslizamentos.

QUEDAS

A velocidade muito alta é a principal característica das quedas, que estão associadas geralmente à queda livre de blocos ou tombamentos de maciços rochosos instáveis, que foi o caso do desastre em Capitólio (MG). A presença de descontinuidades litológico-estruturais, como as fraturas, no maciço rochoso e a ação do intemperismo são preponderantes para ocorrer o movimento. O rolamento de blocos em encostas íngremes também entra nessa classificação.

Representação esquemática de tombamentos e quedas em encostas
Fonte: Diagramas elaborados pelo Instituto de Geociências e Ciências Exatas (UNESP)

CORRIDAS

A mobilização de grande volume de material (lama e/ou detritos) com alta energia de transporte caracteriza esse movimento como o de maior potencial de impacto destrutivo. As corridas são desenvolvidas ao longo de drenagens e possuem extenso raio de alcance, mesmo em áreas planas.

DESLIZAMENTOS

São movimentos rápidos e de curta duração que se desenvolvem em encostas e segundo superfície de ruptura bem definida entre o material deslizado e o não movimentado. Ocorrem quando há falta de estabilidade da frente da encosta e a existência de superfícies de deslizamento.

Com o aumento da taxa de pluviosidade, cenários como esses podem se agravar! Controle de risco salva vidas! Cobrem os órgãos responsáveis!

Texto elaborado com o auxílio de Walter dos Reis Junior, professor de Geologia de Engenharia e Geotecnia (UFVJM) & Ana Maciel, professora de Hidrogeologia (UFVJM).